Reprodução

Composto pelas seleções da Argentina, Croácia, Islândia e Nigéria, o grupo D é considerado o Grupo da Morte da Copa do Mundo de 2018. É também onde ‘mora’ nosso maior rival, que não vem passando por boas fases. Precisamos, então, acompanhar bem de pertinho. Vai que rola um azar, né?

O primeiro jogo dessa chave é entre Argentina x Islândia, no sábado.

Apesar da Argentina ser vista como favorita na chave, e até mesmo ao título, ela chegou perto de ficar fora da competição, tendo um desempenho que não agradou seus torcedores jogando de forma extremamente defensiva sob o comando de Bauza. A história mudou com a chegada de Sampaoli, numa virada espetacular de 3×1 sobre o Equador. Contando com um dos melhores do mundo, Lionel Messi fez os três gols da partida e pretende encaminhar a Argentina para uma boa competição no Mundial. Para ele, em particular, é o único titulo que falta ganhar.

Já a Islândia, conhecida por seus gritos Vikings, não conta com jogadores ou técnicos de renome. Uma curiosidade, inclusive, é que seu técnico é dentista numa cidade de 5 mil habitantes. A seleção vem crescendo no meio futebolístico, e será uma grande surpresa para esta edição da Copa. Seu estilo de jogo conta com uma participação coletiva dos atletas. Jogando contra os times grandes em um 4-5-1, formam verdadeiros paredões e esperam sempre uma bobeada dos adversários para contra-atacarem. Aqueles que jogarem contra a Islândia precisarão tomar cuidado também com suas bolas longas e paradas. Um ajudante desta seleção é com certeza sua torcida, que vem sempre dando shows espetaculares em todos os jogos e empurrarão até o fim a equipe do coração.

O segundo jogo da chave ocorre também no sábado, com Croácia x Nigéria.

A Croácia também vem forte para a competição, sendo comentada por muitos como candidata a surpreender cada vez mais. Ela conta com jogadores como Rakitit e Modric, que fazem seu meio campo ser muito eficiente. Seu estilo de jogo é baseado no toque de bole diferenciado e na ótima qualidade em armar jogadas.

A Nigéria participará de sua sexta competição Mundial e busca, desta vez, ir além das oitavas de final, fato que nunca ocorreu. O meia do Chelsea, Victor Moses, é a grande aposta desta seleção. Uma curiosidade é que a base de sua seleção é uma das únicas compostas apenas por jogadores que jogam fora de seu país. Um dos fatos que contribui para seu desempenho ser um pouco maior que o das ultimas edições de Copas do Mundo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: