Guia da Libertadores Feminina: Conheça os times que estarão na disputa

Alexia Faria e Bianca Miquelutti

O futebol feminino se tornará mais uma vez o centro das atenções em 2018. A 10ª edição da Copa Libertadores das meninas começa no próximo domingo (18), e aqui no Jogadelas você fica por dentro desse campeonato que é curto, mas de muita importância.

Esse ano tivemos Libertadores masculina o ano inteiro, e muito diferente desse novo formato, a feminina terá um calendário de apenas 15 dias. Com apenas 12 times, o torneio será realizado em Manaus, de 18 de novembro até 2 de dezembro.

O Brasil tem três representantes, que são Audax, Santos e Iranduba. Já os outros países sul-americanos contam com apenas um representante. As partidas serão realizadas na Arena Amazônia e no Estádio da Colina.

As primeiras partidas da Copa serão entre os integrantes do Grupo C, e acontecem na Arena Amazônia, às 20h entre UAI Urquiza e Cerro Porteño. Já às 22h30 tem outra partida entre Flor de Patria e Iranduba.

Grupo A

Hi There!

AUDAX

Fundação: 2015

Nacionalidade: Brasil

Esta será a segunda participação do Audax na Copa Libertadores Feminina. O time que já contou com as parcerias de Corinthians e Ponte Preta, agora está na cidade de Valinhos.

Ao vencer a Copa do Brasil Feminina em 2016, o Audax se classificou automaticamente para a fase de grupos da Libertadores de 2017, e mesmo disputando o torneio em parceria com o time do Corinthians e conquistando a Libertadores desse mesmo ano, teve a sua vaga reservada.

UNIÓN ESPAÑOLA DE GUAYAQUIL

Fundação: 1940

Nacionalidade: Equador

O time equatoriano encara sua terceira participação na Libertadores Feminina, tendo sua primeira participação no ano de 2016 quando foi campeão nacional em 2015. Na sua primeira participação pela competição internacional, a equipe não obteve nenhuma vitória e foi eliminada logo na fase de grupos. Porém, em sua segunda vez no torneio, o seu desempenho foi melhor ficando em segundo lugar no grupo que estava.

O Unión Española se classificou para a sua terceira participação na Libertadores ao se consagrar campeão nacional do futebol feminino do Equador. O time de Guayaquil é tricampeão nacional e ganharam a competição no mês de setembro contra o time feminino Club Ñañas.

ATLÉTICO HUILA

Fundação: 2016

Nacionalidade: Colômbia

Logo no ano de sua estreia, o Atlético Huila fez uma excelente campanha na colômbia e foi vice-campeão da Liga Profissional Feminina.

Neste ano, o time do Atlético Huila ganhou a Liga Águila feminina, o campeonato colombiano, perante a equipe feminina do Nacional, se classificando para o torneio da Libertadores 2018. Hiula disputará pela primeira vez a Libertadoras, uma vez que sua fundação se deu em 2016 e até então vem conquistando seu espaço no cenário esportivo.

PEÑAROL

Fundação: 1891

Nacionalidade: Uruguai

Ao conquistar pela primeira vez em sua história a primeira divisão do Campeonato Uruguaio de 2017, o Peñarol se classificou automaticamente para a Copa Libertadores Feminina 2018. A boa campanha registrou 15 vitórias, 5 empates e 3 derrotas durante o ano de 2017, não ficando de fora do torneio internacional.

Este ano, pelo Campeonato do Uruguai, o Peñarol vai em busca do bicampeonato podendo se classificar para a próxima edição da Libertadores Feminina.

GRUPO B

Hi There! (1)

COLO-COLO

Fundação: 2007

Nacionalidade: Chile

Representando o Chile, o Colo-Colo é reconhecido pelo seu ótimo desempenho em competições tendo conquistado 13 Campeonatos do Chile, uma Libertadores e duas Copas Chilenas. Esta será a quinta participação do time na Libertadores Feminina, na última edição, o clube decidiu a final contra o Corinthians a acabou perdendo para as brasileiras.

O time é um dos favoritos para esta edição do torneio. O Colo-Colo é a atual equipe campeã do futebol feminino do país (Apertura y Clausura 2017).

SANTOS

Fundação: 1997

Nacionalidade: Brasil

O Santos conta com a sua quarta participação na competição neste ano. Famoso por seus bons resultados em campo, o time de Marta foi campeão em 2009, na sua primeira participação na Libertadores Feminina, ganhando novamente no ano seguinte e chegando até a semifinal contra o São José, onde perdeu por 2 a 1, ficando em terceiro lugar após derrotar o Caracas da Venezuela.

Ao ter ganhado o campeonato brasileiro feminino no ano de 2017, as Sereias da Vila se classificaram automaticamente para a Copa Libertadores 2018. O time é o favorito para o título deste ano, uma vez que se destaca pelo trabalho e pela infraestrutura do clube.

JC SPORT GIRLS

Fundação: 2003

Nacionalidade: Peru

Reconhecido clube feminino do Peru, o Sport Girls é o time mais vitorioso nacionalmente, conta com oito títulos de Lima e quatro títulos nacionais. Seu diferencial é o trabalho feito nas bases do time, possuindo times sub-10, sub-12, sub-14 e categoria infantil.

Ao se consagrar campeão do campeonato peruano de 2017, o Sport Girls representará seu país na Copa Libertadores 2018.

DEPORTIVO ITA

Fundação: 2003

Nacionalidade: Bolívia

O Deportivo ITA fecha o grupo B da Libertadores com muita experiência e qualidade de suas jogadores. O clube possui sete títulos nacionais e dois participações na Libertadores Feminina pelos anos de 2009 e 2017. O time possui a craque Maite Zamorano, considerada a melhor jogadora da Bolívia.

Representando o seu país, o Deportivo ITA se tornou bicampeão do campeonato nacional boliviano neste mesmo ano e assim se classificou diretamente para o torneio da Libertadores Feminina de 2018.

GRUPO C

Hi There! (2)

UAI-URQUIZA

Fundação: 2009

Nacionalidade: Argentina

O time feminino UAI-URQUIZA é a fusão do Club Ferrocarril Urquiza com a Universidad Abierta Interamericana. Sendo campeão por quatro vezes da primeira divisão do campeonato argentino, o Urquiza vem representando a Argentina na Copa Libertadores 2018, foi classificado automaticamente após ganhar a última edição do torneio nacional.

As argentinas já participaram de duas edições da Libertadores Feminina, em 2016 ficaram em terceiro lugar, a meta agora é conquistar a América e levar para o seu país o primeiro título feminino da competição.

CERRO PORTEÑO

Fundação: 2014

Nacionalidade: Paraguai

Representando o país vizinho, Paraguai, o Cerro Porteño conquistou o campeonato paraguaio de forma invicta neste ano e foi diretamente classificado para a Copa Libertadores 2018.

O clube chama a atenção para a sua comissão técnica que trouxe títulos para o Cerro sempre que comandaram sua direção. Famoso por suas vitórias nacionais, esta será a sexta participação das paraguaias na Libertadores Feminina. Sua melhor colocação no torneio ocorreu em 2014, conquistando o terceiro lugar.

FLOR DA PATRIA

Fundação: 2014

Nacionalidade: Venezuela

O Flor da Patria é o atual campeão do maior torneio da Venezuela, a Superliga Feminina, e por ter ganhado (invictas) a última edição irá representar o seu país na Copa Libertadores 2018. Esta será a primeira participação do time na Libertadores Feminina.

Com muito desempenho, as jogadoras tiveram apenas três dias de descanso entre a final da Superliga e a preparação para o torneio internacional. As venezuelanas enfrentarão as donas da casa do Iranduba na Arena Amazônia no seu primeiro jogo.

IRANDUBA

Fundação: 2011

Nacionalidade: Brasil

Reconhecido regionalmente e nacionalmente como um dos times femininos mais fortes do Brasil possuindo oito títulos amazonenses, o Iranduba é o clube da cidade-sede da Libertadores Feminina 2018. O clube se destaca pelo tratamento com a equipe feminina investindo de forma equalitária no profissionalismo das jogadoras como acontece com o time masculino.

Esta será a primeira participação do time amazonense na Libertadores e contará com reforços importantes como as craques Camilinha e Andressinha, ambas da Seleção Brasileira.

Equipe Jogadelas

Consideramos uma grande conquista a ocupação e manutenção do futebol por parte de atletas femininas com existência da Libertadores Feminina, buscando maior reconhecimento e prestígio de nossas jogadoras enfatizando suas dedicações, esforços, dificuldades e talentos.

Às vizinhas latino-americanas, desejamos um bom torneio e uma boa estadia pelo Brasil, que possam se sentir muito motivadas a alcançarem o objetivo de seus clubes e levarem o troféu para o seu país de origem.

Às jogadoras brasileiras, desejamos muita sorte e que também possam fazer um bom torneio fortalecendo o futebol feminino local e nacional. Serão dias de competição e compartilhamento em um esporte que luta por igualdade e respeito para as mulheres.

Faremos a cobertura da Libertadores Feminina 2018 no site e nas redes sociais. Fique por dentro!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: