Foto: Daniel Hott / América

América-MG goleia a xenofobia em Roraima

Por Júlia Cunha

Na última quarta-feira (13), o América MG enfrentou o São Raimundo, pela Copa do Brasil, na Vila Olímpica Roberto Marinho, em Boa Vista – Roraima. As equipes nunca haviam se enfrentado na história e a partida acabou em 0x0.

O jogo foi equilibrado, ambos os times tiveram boas oportunidades de finalizações, mas não vieram a ser, de fato, efetivos. Vale destacar o goleiro do Coelhão, Fernando Leal, que fez boas defesas ao longo da partida, e também o trabalho do técnico Chiquinho Viana, comandante da equipe do São Raimundo, que montou um sistema defensivo reforçado capaz de segurar o América.

Coelho enfrentou dificuldades em Roraima, mas se garantiu com o empate
(Foto: Daniel Hott / América)

Como o regulamento da Copa do Brasil estipula que os times mais bem colocados no ranking da CBF jogam primeira fase como visitantes mas possuem a vantagem do empate, o América MG avançou para a segunda fase do campeonato.

Apesar da partida, o saldo foi mais que positivo para a cidade da equipe de São Raimundo, a capital de Roraima. Há pelo menos 3 anos, Boa Vista tem sido a principal porta de entrada dos imigrantes venezuelanos no Brasil.

Há pelo menos 3 anos, Boa Vista tem sido a principal porta de entrada dos imigrantes venezuelanos no Brasil.

Os venezuelanos buscam fugir da crise política e econômica instaurada na Venezuela, onde a violência está gerando um caos e faltam serviços básicos que inviabilizam condições mínimas de sobrevivência; eles buscam refúgio no Brasil e objetivam começar uma vida nova e melhor em nosso território, mas isso tem gerado uma crise migratória e provocado inúmeros casos de xenofobia na cidade brasileira, visto que a maioria do habitantes se mostram ressabiados com a precariedade dos serviços públicos e com a baixa demanda de empregos.

Xenofobia é preconceito, é crime.

E foi considerando o cenário exposto que o América MG, em parceria com a ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), demonstrou total apoio à causa dos refugiados. O clube doou cerca de 150 materiais esportivos para um projeto social de futebol da cidade, mantido por um venezuelano de 41 anos chamado Madrid, um ex-atleta e imigrante; o projeto de Madrid acolhe aproximadamente 100 crianças e adolescentes, entre brasileiros e venezuelanos.

A FMF (Federação Mineira de Futebol) ainda doou 5 bolas oficiais para o projeto.

A entrega da doação aconteceu de surpresa na tarde desta terça-feira (13), quando Madrid organizou uma partida de futebol com cerca de 20 crianças participantes do projeto social e convidou o América MG para participar; o gerente de futebol e o auxiliar técnico do Coelhão compareceram e efetuaram a entrega ao fim da partida.

%d blogueiros gostam disto: