Foto: Lucas Figueiredo/CBF

13 mulheres que mudaram os rumos do esporte para sempre

Por Bianca Miquelutti

A luta pela igualdade sempre teve papel fundamental na história, são anos de batalhas para conquistar espaços que em algum determinado momento nos foi negado. Ser mulher é resistir e persistir para que a nossa existência não seja apagada, são séculos de enfrentamento apenas para sermos respeitadas como seres humanos que possuem capacidades e vontades assim como os homens.

As mulheres quebram recordes, correm, nadam, dominam a bola com as mãos, com os pés, conquistam medalhas e o mundo. Estamos aqui para sermos protagonistas da história.

No dia das mulheres, montamos uma lista especial de atletas femininas que se destacaram no esporte e que inspiram gerações:

MARTA

Foto: Getty Images

Simplesmente a maior jogadora de futebol do mundo, Marta é um orgulho nacional e uma força inspiradora para muitas meninas que jogam futebol. Quebradora de recordes, Marta conquistou o prêmio de melhor jogadora do mundo da FIFA pela sexta vez em setembro de 2018. A atleta se tornou a maior vencedora entre todos os atletas no prêmio individual da entidade, tanto Cristiano Ronaldo quanto Messi têm cinco.

Jogadora do Orlando Pride e da seleção brasileira, Marta estará presente na Copa do Mundo Feminina que acontecerá em junho, na França.

HORTÊNCIA

Foto: Instagram/Hortencia Marcari

Em 2018, Hortência foi eleita por voto popular como a maior jogadora de basquete de todos os tempos de Mundiais organizados pela FIBA. Com o título de GOAT, a atleta disputou cinco mundiais com a camisa do Brasil, entre eles o título inédito de 1994 da Austrália. Hortência também fazia parte da equipe medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996.

Hortência é a maior pontuadora da história da seleção brasileira de basquete feminino.

SERENA WILLIAMS

Foto: PETER PARKS/AFP/Getty Images

Serena é considerada uma das maiores tenistas da história do esporte, a atleta já é a maior campeã de Grand Slam na era aberta, com 23 títulos, o que a confere como a segunda maior campeã de torneios majors, ficando a um título apenas de se igualar a Margaret Court.

Atuante, Serena Williams voltou a competir em alto nível no ano passado e segue na busca de quebrar recordes.

AMANDA NUNES

Foto: Facebook Oficial UFC Brasil

Em dezembro de 2018, Amanda se tornou a primeira mulher a ter cinturão em duas categorias diferentes do UFC. Com apenas 51 segundos, Amanda surpreendeu e nocauteou sua adversária Cris Cyborg.

Amanda foi a primeira brasileira a se tornar campeã do UFC e para muitos esportistas, a atleta é considerada a maior lutadora de MMA da história.

MARIA LENK


Fonte: Torcer pelo Esporte

Considera a principal nadadora brasileira, Maria Lenk foi a primeira sul-americana a participar dos Jogos Olímpicos e a única brasileira no Hall da Fama da Natação. Em 1939, a atleta quebrou dois recordes mundiais, nos 400m e 200m do estilo peito.

Precursora e ícone do esporte, Maria Lenk segue inspirando mulheres a quebrar barreiras.

NILMARA ALVES

Foto: Felipe Larozza/ VICE

É a primeira mulher a obter o registro de técnica na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e única à frente de uma equipe profissional masculina no país. Nilmara treina o Manthiqueira, da cidade de Guaratinguetá, e apesar de ter que deixar o posto em 2017 para se dedicar ao seu segundo emprego, a técnica reassumiu o cargo em 2018.

Consultora na campanha de 2017, Nilmara viu o Manthiqueira levar o inédito acesso à Série A3 do Paulista.

AIDA DOS SANTOS

Foto: Hermes de Paula / Agência O Globo

Aida foi a única representante do atletismo nacional e a única mulher da delegação brasileira nas Olimpíadas de Tóquio de 1964. A atleta conta que participou dos Jogos Olímpicos sem incentivo, não tinha uniforme, técnico, médico e tênis. Em seus treinamentos, Aida sofreu uma lesão no pé e mesmo sem assistência médica, chegou a final da competição de salto como a primeira brasileira na final de uma competição olímpica. Alcançando a marca de 1,74m, a atleta conquistou o quarto lugar nos Jogos, marca que lhe rendeu o maior desempenho de uma brasileira nas Olimpíadas por 32 anos.

Atleta, negra, mulher, pobre, Aida marcou a história do esporte e possui três diplomas, Pedagogia, Geografia e Educação Física. Mostrando que as mulheres podem tudo o que elas quiserem.

KATHRINE SWITZER

Foto: Courtesy of Kathrine Switzer

Kathrine foi a primeira mulher a correr oficialmente a Maratona de Boston em 1967. A atleta que mudou a corrida de Boston para sempre, conta que na época tinha que treinar com homens pois não havia modalidade feminina em sua universidade. As mulheres não eram legalmente proibidas de correr a maratona, mas acreditava-se que eram incapazes de correr 42.195 metros.

Ao ver que uma mulher estava participando da corrida, Jock Semple, um escocês que comandava a prova tentou afastar Kathrine do percurso empurrando-a. A corredora continuou a prova e em 1972, ajudou a Maratona de Boston oficializar a criação da categoria feminina.

RAFAELA SILVA

Foto: Divulgação Olimpíadas

Em agosto de 2018 no Grand Prix de Budapeste, Rafaela conquistou o seu primeiro ouro após ter sido campeã olímpica, nos Jogos de 2016. A atleta do judô se tornou a primeira brasileira a subir no lugar mais alto do pódio em um Campeonato Mundial, no Rio em 2013.

Rafaela conta que cogitou desistir do esporte quando foi desclassificada dos Jogos em 2012 e que após ter sofrido preconceito, teve medo de sofrer novos ataques racistas. A judoca tornou-se a primeira brasileira a brasileira a ter um ouro mundial e olímpico.

NADIA COMANECI

Foto: NEIL LEIFER/SPORTS ILLUSTRATED

Nadia conquistou o primeiro 10 perfeito em um mundial com a ginástica artística. Com apenas 14 anos, nos Jogos Olímpicos de Montreal, a romena tirou sete notas 10, as primeiras da história das Olimpíadas. Também conquistou três ouros na competição: na trave, nas barras assimétricas e na individual geral.

Nadia não inspira somente atletas, uma vez a atleta e seu marido Bart encontraram-se com Michelle Obama:

“‘Você sabe o que você fez por mim? Quando vi você fazer o que você faz, eu senti que eu podia tudo, se eu me empenhasse”, contam.

RAQUEL FERREIRA BARBOSA

Foto: Peri Fon

Não podemos esquecer da postura profissional e forte que a bandeirinha Raquel Barbosa manteve durante uma partida entre CSA e Murici em fevereiro deste ano (2019), foto que viralizou nas redes. Ao questionarem a legitimidade de um gol, os jogadores intimidaram a assistente de arbitragem. Raquel conta que se talvez fosse um homem, os jogadores não seriam tão agressivos ao duvidarem da decisão.

“A mulher está ocupando seu espaço por consequência do seu profissionalismo e isso me deixa muito feliz. A mulher tem o direito de o ocupar o seu espaço em qualquer setor profissional, mas para isso ela precisa ser oportunizada” disse Raquel em entrevista para a EspnW.

YELENA ISINBAYEVA

Foto: Reuters/VEJA

Yelena é uma ex-saltadora de vara russa, bicampeã olímpica e atual recordista com a marca de 5,06 metros. Foi eleita Atleta Feminina do Ano pelo IAAF três vezes e já bateu o recorde do salto com vara 28 vezes. Em 2005, tornou-se a primeira saltadora de vara feminina a saltar 5,00 metros.

Com 29 anos, Isinbayeva já era considerada a melhor saltadora feminina de vara da história.

TEREZINHA GUILHERMINA

Foto: Cezar Loureiro/MPIX/CPB

Tricampeã paralímpica, Terezinha é considerada a cega mais rápida da história do atletismo. Alegre, sempre combina seus acessórios com medalhas de ouro, Terezinha tem uma história incrível de superação e luta. Começou no esporte em 2000 e carrega em sua conquistas três medalhas de ouro dos Jogos Paralímpicos de Londres em 2011 e três medalhas de ouro dos Jogos de Parapan-Americanos do Rio em 2007.

Terezinha é um exemplo de inspiração para mulheres e jovens que possuem alguma deficiência e que desejam ingressar no mundo do esporte, mostrando que não há limitações para quem tem sonhos: “percebi que poderia ser uma atleta profissional a partir do momento que eu quis ser a melhor do mundo. Desde criança projetava ser a melhor do mundo, seja como psicóloga ou advogada”, conta Terezinha com orgulho.

Equipe Jogadelas

Feliz dia mundial das mulheres, à todas as mulheres do esporte e fora dele, à todas que lutam diariamente pela igualdade e enfrentam obstáculos e passam por eles dia após dia. Nosso eterno obrigada àquelas que lutaram pra que nós pudéssemos continuar cravando batalhas.
Essa LUTA é nossa!


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: