Por Gabriela Nolasco

Na última sexta-feira (12), a equipe argentina San Lorenzo marcou história: a profissionalização do futebol feminino. Quinze atletas tiveram seus contratos com carteira assinada, foram: Eliana Medina, Sindy Ramirez, Federica Silvera, Cecilia Lopez, Débora Molina, Maricel Pereyra, Milagros Vargas, Rocio Correa, Lavinia Antequera Vanina Preininger, Florença Coronel, Rocío Vázquez, Ariana Alvarez e Florença Salazar.

A frente desse início histórico foi da atleta Macarena Sánchez, a primeira futebolista a se rebelar contra a ordem estabelecida no esporte mais popular da Argentina, em que até pouco tempo as mulheres eram completamente ignoradas.

A indignação da atacante argentina no início do ano, Sánchez foi demitida pela equipe da UAI Urquiza, atual campeã da liga, após o que iniciou ações legais contra o clube e a AFA para ser reconhecida como esportista. Porém nem a equipe nem a AFA a atenderam. A luta de Sanchez chegou à mídia nacional e internacional e recebeu apoio extraordinário quando eles começaram a conhecer as condições das jogadoras.

“Nós estamos lutando contra isso por muitos anos. Isso não começou três meses atrás, mas muito mais para trás. Há muitos jogadores que se retiraram sem ser capaz de assinar um contrato profissional e além daquilo que nós assinar hoje atrás de nós há muitas pessoas que ajudaram a tornar este acontecer” disse a atleta para o El País.

Uma parte desses contratos será financiada pela Federação AFA, que anunciou que contribuirá com 120.000 pesos (cerca de 3.000 dólares) por mês para cada um dos clubes do futebol feminino.

Em março, a Associação de Futebol da Argentina AFA anunciou a profissionalização da categoria no país totalmente investido pela associação.

No site do San Lorenzo está a seguinte frase: “Com a camisa do Barça no peito e o novo Gasômetro no fundo, a Las Santitas levantou a voz em voz alta: O futebol feminino é profissional!”

Esperamos muitas outras equipes do Brasil e no Mundo entenda que o futebol feminino é um investimento, e não um gasto.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: