Foto: Divulgação/SPFC

Por Audrey Fontelas e Bianca Miquelutti

No último domingo (14), o São Paulo entrou em campo no estádio do Morumbi com mais de 50 mil torcedores presentes, recorde de público no campeonato paulista, para o primeiro jogo na disputa pelo título.

Antes do início da partida, o meia Liziero sentiu um desconforto muscular e ficou fora da decisão. Na entrevista coletiva, o técnico Cuca comentou sobre o choro do atleta logo depois de ouvir que não jogaria o clássico. A ausência do jogador foi sentida pela equipe.
Do lado do Corinthians, o meia Jadson voltou aos gramados depois de um tempo afastado por problemas médicos. Em entrevistas, disse que sentiu a falta de ritmo de jogo e disse entender o tempo na reserva. Quem também voltou a jogar foi o meia Ramiro, os dois jogadores estavam afastados mas foram preferência do técnico Carille.

Nos primeiros 45 minutos de jogo, o time do São Paulo mostrava estar ansioso, não fazendo as triangulações ou chutes fora da área, já o Corinthians tentava quebrar a defesa tricolor mas a dupla de zagueiros, Arboleda e Bruno Alves, mostraram porquê estão em uma ótima fase. O volante Luan chegou a ser ovacionado pela torcida tricolor devido seu desempenho em campo, não somente pelo jogo contra o Corinthians mas pelo futebol que vem apresentando nas últimas partidas, apesar de muito novo, a atuação de Luan foi impecável no Allianz Parque.

O goleiro Cássio salvou novamente o seu time, defendendo com sua perna esquerda em cima da linha do gol, bolas que possivelmente entrariam se o goleiro não fosse tão decisivo principalmente em jogos grandes.
Jogando fora de casa, Carille postou uma defesa muito eficiente em campo, até mesmo o seu atacante Gustagol apareceu pra defender o time em alguns lances dentro da área. Por ter zagueiros menos velozes e mais pesados, pode-se observar um Corinthians que se defende em conjunto muitas vezes, uma característica que até define o time de Carille como retranqueiro mas que certamente alcança seus objetivos do modo como é proposto.

As principais chances de gols do Corinthians foi com Clayson e pelo lado do São Paulo, com o jovem Antony. O garoto mostrou que estava se sentindo desconfortável após o primeiro tempo, mas voltou melhor do vestiário para continuar a partida. Carille reforçou a marcação em cima de Antony atrapalhando a finalização de suas jogadas, o jogador que se destaca pelo 1 contra 1 acabou sendo marcado por 2 ou 3 adversários.

O tricolor paulista contou com a volta do meia Hernanes, que estava se recuperando de uma lesão que sofreu no começo do campeonato, e que entrou no segundo tempo da partida. Devido ao uso de defensores do Corinthians pelas pontas, Hernanes pôde arriscar pelo meio e chutar de fora da área, criando oportunidades para abrir o placar. A ausência de um centroavante prejudicou muito a equipe do São Paulo que não soube desenvolver o futebol que gostaria perante um Corinthians fechado. Sendo assim, as chances mais claras de gols ficou para o São Paulo com Hernanes, Luan e Nenê.

O VAR atuou 3 vezes com dois possíveis pênaltis, um deles aconteceu nos minutos finais do jogo. O assistente de vídeo demorou cerca de 4 minutos para analisar o lance e o juiz não acrescentou os minutos na partida, revoltando todo o time do São Paulo. Apesar de todas as polêmicas incluindo a arbitragem do jogo e o uso do VAR, a torcida são paulina representou enchendo o Morumbi e empurrando o time após tantos anos sem chegar em uma final.

O tricolor espera a volta de Pablo e Liziero ao time do São Paulo para completar a equipe em busca do título lá na Arena em Itaquera. Por lado, o Corinthians jogará ao lado de sua torcida no seu estádio em busca do tricampeonato. No próximo domingo (21), saberemos quem será o próximo campeão paulista, o time de Carille ou o reformulado São Paulo. E você, já tem o seu palpite?

%d blogueiros gostam disto: