Conheça o Grupo A: França, Coreia do Sul, Noruega e Nigéria

Grupo A

A anfitriã França abrirá oficialmente a competição contra a seleção da Coreia do Sul, às 16 horas no horário de Brasília, no Estádio Parc des Princes.

França

Ranking FIFA da Alemanha: 4º lugar

A França tentará ser pela primeira vez campeã, com um alto investimento e uma geração talentosa vêm para competição como uma das favoritas, com a liderança das experientes Renard e Le Sommer. O Futebol feminino cresceu no país e os times estão abrindo cada vez mais as portas para as atletas, estão correndo atrás das alemãs e americanas já que esses países investem no futebol feminino a muito tempo.

A seleção francesa é treinada por uma mulher, Corinne Diacre. A treinadora foi a primeira mulher a comandar uma equipe masculina na França, o time Clermont Foot, da segunda divisão francesa, por três temporadas. Diacre está liderando a seleção da França desde 2017 e em 21 jogos até abril deste ano, o time perdeu apenas três partidas, uma contra a Alemanha por 4 x0 e 1×0 e outra contra a Inglaterra por 4×1 em 2018 durante o SheBelieves Cup. 

A categoria de base da França chama atenção pelo seus jovens talentos e na principal pela técnica e experiência das suas jogadoras. A atacante Le Sommer de 29 anos, está entre as 10 melhores jogadoras do mundo segundo jornais, jogando no Lyon, vem para copa como um destaque e Renard a defensora de 28 anos, vem mostrando o seu talento no campo e sua vitalidade.

Destaque da seleção é a volante Amandine Henry. Amandine fez parte do elenco da Seleção Francesa de Futebol Feminino, nas Olimpíadas de 2016 e ganhou o She Believes Cup com a França em 2017. A jogadora atua no Olympique de Lyon.

Amandine Henry

A Federação de Futebol Francesa (FFF) analisa a história do futebol feminino no país que ainda está em construção e prevê uma melhora para a próxima Copa de 2023, hoje o atual time da seleção é de atletas experientes, as promessas da base estão sendo preparada para assumir e alguns dados relevantes a temporada 2011-2012, após a França alcançar as semifinais da Copa do Mundo da Alemanha-2011. A FFF tem hoje 179.000 mulheres federadas (+106%), das quais 139.000 são jogadoras (+137%), 37.000 dirigentes (+40%), 1.500 educadoras (+86%) e 1.000 árbitras (+48%).

Coreia do Sul

Ranking FIFA da Coreia do Sul: 14º lugar

Seleção coreana vem tentando conquistar o seu espaço entre as grandes, o primeiro título veio na categoria de base em 2010, é uma das seleções mais discretas mas o futebol feminino é bastante valorizado no país, com um campeonato WK League da primeira divisão contendo apenas 8 times mas com 24 jogos.

Yoon Deok-yeo é o técnico da seleção coreana. Ex- jogador de futebol, foi defensor do país e atuou na Copa do Mundo de 1990 realizada na Itália. Está no comando da seleção feminina desde 2013, após treinar alguns times masculinos na Coreia. O objetivo de Deok-yeo é liderar uma campanha melhor que da última Copa, quando a Coreia do Sul foi eliminada nas oitavas-de-final para a França. Rivalidade que estará presente logo na primeira fase.

A cultura asiática ajuda muito no esporte pela sua disciplina, as principais jogadoras são Lee Min-a de 27 anos, a meia atua em um time do seu país e a Ji So-yun, a atacante classificou sua nação contra o Japão em um jogo emocionante na classificação para a copa.

Aos 28 anos Ji SoYun é uma das destaques do time, a jogadora é meia-campista e é a camisa 10 no Chelsea. Ji foi eleita a mulher do ano pelo Asian Women Footballer of the Year em 2013.

PARIS, FRANCE – JUNE 04: Soyun Ji of Korea Republic poses for a portrait during the official FIFA Women’s World Cup 2019 portrait session at Crowne Plaza Paris – Neuilly on June 04, 2019 in Paris, France. (Photo by Marianna Massey – FIFA/FIFA via Getty Images)

As sul-coreanas estão construindo a sua história no futebol feminino, em uma equipe de transformações, com experiência e algumas jogadoras lesionadas foram fortes o suficiente para conquistarem a sua vaga para copa. O time pode ser uma surpresa nessa fase de grupo.

Noruega

Ranking FIFA da Noruega: 12º lugar

Noruega, uma equipe tradicional, a Toppserien é a primeira divisão é composta por 12 times com 22 rodadas, é um futebol intenso e objetivo, os jogos são muitos pegados com qualidade. E uma das melhores jogadoras do mundo é de lá. Com um título mundial na história, a seleção norueguesa sempre foi destaque pelo seu estilo de jogo e as transformações não param, em 2017 teve a igualdade entre as duas seleções (feminino e masculino) e a seleção masculina vai dar uma ajuda financeira para a feminina.

A valorização da mulher no esporte é um ponto que chama atenção mas ainda existe preconceito mesmo com o suporte das organizações.

A Noruega é treinada por Martin Sjögren desde de dezembro de 2016.

A dona da primeira bola de ouro entregue pela France Football, Ada Hegerberg a atacante com 23 anos, já fez mais de 250 gols na carreira. Com o Lyon já conquistou três vezes as últimas edições da Liga dos Campeões, optou por não jogar competição por suas proposta a melhoria ao futebol feminino no país não serem atendidas e o fato que a desigualdade entre ambos sexos estarem mais óbvias e por não ter valorização, não defenderá a sua seleção.

Aos 23 anos, Ada Hegerberg é a estrela da seleção norueguesa. Destaque do Lyon da França, foi artilheira da Liga dos Campeões 2015/2016 e levou na mesma temporada o prêmio de melhor jogadora da Europa. Ada balançou a rede três vezes na final da Champions League no último sábado na vitória por 4 a 1. No ano passado, a jogadora foi eleita a melhor do mundo pela conceituada revista “France Football” e esteve entre as finalistas do The Best, da Fifa. Infelizmente, Ada não estará competindo no mundial.

Não podemos esquecer outra peças da Noruega, como a defensora Maria Thorisdóttir, que já jogou no Chelsea FC, com seus 25 anos é um destaque da seleção assim como a sua companheira de clube Maren Mjeld. Maren é meia-campista e tem 29 anos, a jogadora mostra a intensidade das norueguesas e a sua habilidade para armar as jogadas.

Maria Thorisdóttir

A Noruega é aposta de ser representante no grupo A junto com França.

Nigéria

Ranking FIFA da Nigéria: 38º lugar

É considerada a melhor seleção de futebol feminino da África na atualidade. É a atual campeã do Campeonato Africano de Futebol Feminino e já conseguiu o seu décimo título. Participou de todas as edições, sendo que sua melhor colocação foi um 7º lugar em 1999. Nos Jogos Pan-Africanos é atual bicampeã, tendo vencido o torneio de futebol em 2003 e 2007. A Nigéria participou de três Olimpíadas entre 2000 e 2008, chegando às quartas de final em Atenas 2004.

Thomas Dennerby é o treinador da Nigéria. Após treinar a seleção feminina da Suécia entre os anos de 2005 e 2012, Thomas substituiu a ex-técnica nigeriana Florence Omagbemi em 2016. Florence foi a primeira mulher a conquistar a Copa Africana das Nações como jogadora e como técnica. Para o treinador, ficou a responsabilidade de dar continuidade ao bom trabalho.

As principais jogadoras da seleção nigeriana são Onome Ebi,  capitã de 35 anos e Desire Oparanozie, de 25 anos atacante. Desire joga no time francês Guigamp.

Outro destaque da seleção é a atacante Asisat Oshoala de 24 anos. A atleta foi eleita a melhor jogadora e foi a maior goleadora da Copa do Mundo Feminina Sub-20 da FIFA de 2014. Atualmente, a nigeriana está no time do Barcelona.

Asisat Oshoala

A categoria de base da Nigéria é considerada a melhor no seu continente, mesmo com pouco recurso, a seleção se mantém como a principal e sempre está nos torneios e competições mostrando a sua força.

O grupo A tem a seleção da casa com a sua torcida a favor, um europeu, um africano e outro asiático, podem pintar uma Zebra no grupo ou as seleções favoritas passaram, assim no dia 7 de junho descobriremos como será o começo da Copa do Mundo Feminina.

%d blogueiros gostam disto: