Rener Pinheiro / MoWA Press

Por Carol Cardoso

Depois da estreia contra a Jamaica e o hat-trick da Cristiane, o Brasil tem pela frente um velho conhecido: ninguém menos do que a Austrália.
Carrasco na última Copa do Mundo, quando eliminou a seleção brasileira nas oitavas de final, as Matildas são a próxima pedra nas chuteiras da seleção.

“Ultimamente temos jogado muito contra elas. Ganhando, perdendo. Na Copa, saímos para elas nas oitavas. Na Olimpíada eliminados. Acabou virando um clássico e um jogo gostoso de jogar”, disse Andressa Alves.
É nesta quinta-feira, às 13h, com transmissão da Globo, SporTV e Band.

Andressa Alves durante treino da seleção brasileira em Montpellier
Reprodução: Rener Pinheiro / MoWA Press

É chumbo trocado!

O encontro entre Brasil e Austrália é um dos mais esperados do Mundial. A rivalidade vem de anos! Nos últimos cinco anos, foram nove confrontos. Duas vitórias do brasil, um empate e 6 vitórias da Austrália.

“O time da Austrália é meio que nosso carrasco. Sempre incomoda. É muito ofensivo e rápido. E elas perderam. Vão querer vir com tudo”, disse a nossa artilheira Cristiane.

O clima de revanche é grande! Nas duas últimas maiores competições, Copa do Mundo e Olimpíada, as equipes se enfrentaram em fases de mata-mata. A Austrália venceu na Copa, enquanto o brasil eliminou as australianas em 2016, nos pênaltis.

“Fomos felizes no primeiro jogo, mas agora é diferente. Fomos eliminadas na última Copa. É chumbo trocado! ”, exaltou a goleira Bárbara.

Marta x Sam Kerr

Além de toda a rivalidade do confronto, outro duelo promete pegar fogo dentro das quatro linhas. Marta e Sam Kerr, duas das melhores jogadoras da atualidade.

A australiana é o grande destaque e a capitã das Matildas. Foi indicada para o prêmio da Bola de Ouro do ano passado.

Além das seleções, as atacantes já se enfrentaram várias vezes na Liga Americana. Marta defende as cores do Orlando Pride e Sam Kerr do Chicago.

Montpellier: a cidade universitária do sul francês

Stade de la Mosson

Vai ser em Montpellier, cidade com várias universidades e uma população bem jovem, o próximo jogo da Seleção Brasileira. O palco do grande clássico vai ser o Stade de la Mosson, com capacidade para 32,900 espectadores.

Carol Caraciki é jornalista esportiva desde 2006, entusiasta do futebol feminino e das mulheres no esporte em geral. Ah, e amante dos animais! Não compre, adote!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: